domingo, 15 de janeiro de 2012

Estranhos

"Acima de tudo, humilde e cruelmente realista, consegues tocar-me com toda a energia das tuas pequenas revoltas pessoais, com todas as razões e vivências que as acompanham. aos meus olhos, isso muda completamente a maneira como te vejo. sabe-lo bem. tens aquele trejeito, um requinte de malvadez que aumenta exponencialmente acompanhando a tua imaginação e não duvido que isso te faça voar até bastante longe. tens quedas a pique e momentos de loucura que só provam que és muito mais coração do que aguentas; arriscar-me-ia a dizer que tens muito mais coração do que qualquer um aguenta, mesmo... e isso é mais uma das coisas que me faz querer manter-me por perto. no fundo, compreendemo-nos e isso acaba por ser importante, tanto para mim como para ti. consegues confundir-te sempre mais com todos os teus pensamentos e reflexões mirabolantes e depois suprimir tudo isso, como quem apaga um cigarro esmagando-o com o sapato. no fundo, és bem mais forte do que tu pensas, porque tu nunca navegaste, mas já andaste a boiar pelas ondas sem saber muito bem para onde ir, aguentaste a volta da maré, sem cair, sem fraquejar. mascaras-te com alegrias efémeras mesmo nos dias cinzentos e continuas a andar quando o cansaço te parte as pernas; nem vou falar em armadilhas. tens o discernimento para fazer tudo o que desejas sem pensar nas consequências, és teimoso e não permites que nuvem nenhuma te tolde o raciocínio. procuras a lógica por trás das coisas, mas já te apercebeste de que é impossível. odeias pessoas. gostas da noite, amas a música. não o tenho por certo, mas julgo que aprecias a teatralidade subtil por trás de algumas acções e tens o bicho do observador. és capaz de enfardar quantidades insuportáveis de milka. amas os teus com quanto tens e muitas vezes sentes que são tudo. deixas-te levar pelo que mais te cativa; contudo, sabes parar, embora nem sempre isso seja o suficiente. magoas-te. levantas-te, ferido e continuas. chama-se coragem. tens todos os sonhos do mundo compreendidos entre caracóis e palavras esquisitas e um humor de cão. should I give up or should I just keep chasing pavements? és o meu estranho favorito ."

2 comentários:

  1. que lindo, isto não é, nada mais nada menos, do que a minha mente em prosa!

    ResponderEliminar